05 maio18 redes de franquias estrangeiras que devem chegar ao Brasil

Escrito por Priscilla Zuini, da Exame.com

size_590_executivo_com_globo_de_cristal_na_mão

O interesse de marcas estrangeiras no Brasil não é novo, mas tem ficado mais evidente nos últimos anos. “Ele vem se intensificando nos últimos três anos. No ano passado, teve a chegada de várias marcas conhecidas, como a Carls Jr e a Le Pain Quotidien”, diz Rogério Feijó, gerente de relacionamento da ABF.

Segundo ele, as franquias estão mais preparadas para o mercado brasileiro hoje. “Elas identificam o investidor aqui ou iniciam uma operação própria para depois transformar em franquias”, afirma. O caso mais comum é o de redes de alimentação. “É um setor de mais facilidade de adaptação de conceito”, explica.

Adaptação é a palavra chave para ter sucesso. Entrar em choque com a cultura local e não conseguir os fornecedores adequados são problemas que as redes enfrentam quando chegam sem planejamento. “A questão do ponto comercial é outro fator fundamental. Quando está posicionando a marca, precisa estar em um lugar de visibilidade e vai ter que procurar mais e pagar mais caro”, diz.

Para o representante da ABF, o movimento de entrada de novas redes é positivo. “Faz com que aumente a oferta de opções para os clientes e provoca uma mudança no próprio varejo, uma necessidade de crescer para acompanhar essas demandas e novos conceitos”, explica.

Com a ajuda de Feijó e de Paulo César Mauro, diretor da Global Franchise, EXAME.com selecionou exemplos de marcas internacionais de olho no Brasil.

1 – Wendy’s

size_590_wendys

A rede de lanchonetes Wendy’s é uma das principais concorrentes do McDonald’s nos Estados Unidos, onde soma mais de 6,5 mil restaurantes. A expansão internacional começou com mais força em 2009. Hoje, 27 países tem unidades da marca, incluindo as recém-inauguradas em Buenos Aires. A meta é chegar a mais de 8 mil franquias. Na década de 1990, a rede tentou se estabelecer no mercado brasileiro, sem sucesso.

2 – The Cheesecake Factory

size_590_cheesecakefactory

A rede de restaurantes de casual dining foi criada em 1978 e opera 177 unidades atualmente. Conhecida pela sobremesa tradicional americana, a marca oferece ainda lanches e outros pratos. No começo do ano, anunciou um acordo com a Alsea para operar na América Latina. Serão ao menos doze unidades nos próximos oito anos, especialmente no México e no Chile. Argentina, Brasil, Colômbia e Peru também estão no radar.

3 – Stake’n Shake

size_590_steak-shake

A rede americana de lanchonetes tem mais de 500 unidades só nos Estados Unidos. Com mais de 77 anos de mercado, a marca pretende chegar a mil unidades. Em 2010, a empresa faturou 700 milhões de dólares e cresceu 7,5% em vendas. Há dois modelos de restaurantes. O mais simples tem investimento mínimo de 700 mil dólares no mercado americano.

4 – Planet Hollywood

size_590_planetho

O glamour e a fama são os temas desta rede norte-americana. Criada em 1991, a empresa tem sede em Orlando e restaurantes em vários locais dos Estados Unidos. Ao que tudo indica, as negociações no Brasil estão bastante avançadas e a primeira unidade deve ser aberta em São Paulo.

5 – Dunkin’ Donuts

size_590_dunkindonut

A Dunkin’ Donuts já teve uma passagem pelo Brasil, onde ficou de meados da década de 1980 até 2003. Agora, o país voltou a ser atraente para a marca de rosquinhas. As franquias tem tamanhos variáveis e a possibilidade de funcionar por 24 horas.

6 – Darden

size_590_redlobster

Red Lobster, Olive Garden e LongHorn Steakhouse são marcas de restaruantes do grupo Darden. No começo do ano, a Internacional Meal Company (IMC), dona do Viena e Frango Assado, anunciou que vai trazer as três marcas para o país. O grupo americano tem mais de 2 mil unidades e vendas de 8 bilhões de dólares. Comanda ainda outros restaurantes, como Bahama Breeze, Seasons 52 e The Capital Grille.

7 – Clarks

size_590_clarks

A marca de sapatos é uma das mais tradicionais da Inglaterra e foi fundada em 1825. O lucro da companhia ultrapassa 120 milhões de libras. Hoje, são mais de 450 franqueados operando lojas da marca. Já tem presença na Europa, África e Ásia.

8 – Texas RoadHouse

size_590_texasroad

Aberta em 1993, a rede comanda hoje mais de 380 restaurantes. Com unidades geralmente grandes, as franquias costumam ter 100 funcionários. No cardápio, predominam carnes e petiscos. Em 2004, a empresa abriu capital na Nasdaq.

9 – Pêlo e Peso

size_590_pelo-e-peso

A rede portuguesa de depilação e serviços de estética cobra um preço fixo por cada sessão. Os serviços vão de depilação a atendimento de nutricionistas. Na Europa, a rede exige espaços de 60 metros quadrados para funcionar e cobra 45 mil euros de investimento inicial. A marca tem 14 unidades em operação.

10 – TGI Friday’s

size_590_fridays2

A rede de restaurantes americana saiu do país em 2010 e, desde então, está com planos para retornar com um novo parceiro. A saída do país aconteceu por problemas de gestão. A ideia é abrir até doze restaurantes em dez anos. O investimento deve ultrapassar 1 milhão de reais por franquia.

11 – Red Robin

size_590_red-robin

Mais uma rede de restaurantes americana quer uma fatia do mercado brasileiro. Com cardápio de lanches e fritas, a Red Robin tem mais de 450 restaurantes, a maioria é controlada pela própria marca. O investimento em uma franquia nos Estados Unidos fica acima dos 125 mil dólares.

12 – Sbarro

size_590_sbarro

A rede Sbarro, de culinária italiana, foi criada em 1956, em Nova York, e é conhecida pelas pizzas vendidas em fatias. Hoje, são mais de mil unidades e expectativa de abertura em 45 países. A instalação pode ser feita em praças de alimentação de shoppings centers, universidades e até hospitais.

13 – Cartridge World

size_590_cartridge

A empresa é especializada em cartuchos e toners remanufaturados para impressoras. A rede trabalha com as principais marcas do mercado e fornece especialmente para empresas. Há duas modalidades de franquias: lojas física ou móvel.

14 – PF Chang’s

size_590_pfchangs

Um bistrô chinês. Esta é a definição do PF Chang’s, rede de comida asiática que está em busca de oportunidades no Brasil. São mais de 200 restaurantes da bandeira em operação no mundo. O potencial investidor deve ter capacidade de abrir pelo menos dez franquias no período de 5 a 10 anos.

15 – Kidzania

size_590_kidzania

A rede de parques de diversões mexicana já tem planos bem consolidados para chegar ao Brasil. A primeira unidade está prevista para ser instalada em São Paulo e deve ter mais de 9 mil metros quadrados. O investimento deve ser de 30 milhões de reais. A rede foi criada em 1996 e tem parques em países como Japão e Chile. Os locais funcionam como cidades em miniatura para as crianças.

16 – Firehouse Subs

size_590_firehousesubs

Criada por dois irmãos, em 1994, a rede Firehouse Subs é especializada em sanduíches. Hoje, são mais de 600 restaurantes ao redor do mundo. Os planos da franquia incluem chegar a 2 mil lojas até 2020. Nos Estados Unidos, o investimento em uma franquia começa em 180 mil dólares.

17 – Harcourts

size_590_casa

O grupo imobiliário atua com mais força na Ásia e na Austrália. Criada na Nova Zelândia, em 1888, a empresa tem mais de 650 escritórios com 4 mil corretores imobiliários que atuam também nos Estados Unidos, na China e na África do Sul.

18 – Kappa

size_590_kappa

A marca italiana de artigos esportivos vai investir 10 milhões de reais no Brasil e pretende chegar a 100 pontos de venda neste ano. A licença para uso da marca é da SPR Indústrias. O investimento inicial é de 220 mil reais.

Texto extraído de: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/18-redes-de-franquias-estrangeiras-que-devem-chegar-ao-pais?p=2#1