19 novAccessorize retomará modelo de franquias em 2015

Escrito por Cibelle Bouças, do Valor Econômico

Accessorize

A Accessorize, grife de acessórios inglesa do grupo Monsoon, decidiu mudar de estratégia no Brasil após ter os resultados afetados pela economia mais fraca e a alta da libra, que pressionou custos de importação. A companhia pretende adotar em 2015 o modelo de franquias, para retomar a expansão da rede de lojas no país.

A AC Accessorize Brasil começou a operar no país em 2002 como uma representante exclusiva da marca inglesa. No ano passado, a companhia fechou um novo contrato com a Monsoon que permite licenciar franquias da marca no Brasil. “No ano que vem vamos nos estruturar para abrir franquias e fazer uma expansão mais rápida”, disse Robson Tatimoto, presidente da AC Accessorize Brasil. Quando o plano estiver em andamento, a ideia é abrir uma média de 100 lojas por ano. Esse nível, no entanto, será alcançado no longo prazo. Para 2015, a meta são pelo menos duas lojas, sendo uma em São Paulo e outra no Nordeste. “Tudo vai depender do cenário macroeconômico, se houver melhora a expansão pode ser maior”, disse.

Hoje a companhia tem 30 lojas no Brasil e um site de comércio eletrônico. Neste ano, a AC Accessorize não abriu nenhuma unidade no país. Em 2013, a companhia inaugurou duas lojas; em 2012, foram 11. “Este ano o cenário ficou difícil para o varejo, com Carnaval tardio, feriados de Copa do Mundo e eleições, que tiraram os consumidores dos shoppings”, afirmou Tatimoto.

No caso da Accessorize, a rede foi particularmente afetada pela valorização da libra em relação ao real e ao dólar. A companhia importa todas as linhas de produtos que possui e a variação cambial tornou os custos mais elevados para a empresa. “A libra valorizou 22% em relação ao real, enquanto as nossas vendas cresceram 6%. É um custo difícil de absorver, porque os consumidores não estão aceitando grandes reajustes de preço”, afirmou Tatimoto.

Segundo ele, o valor médio de venda por consumidor neste ano está em R$ 94, ante R$ 96 no ano passado, uma queda de 2%. A AC Accessorize Brasil não divulga dados de receita e lucro. O executivo disse apenas que a operação no Brasil é a quarta maior da marca no mundo. A companhia fechou o ano passado com receita global de 551,9 milhões de libras (US$ 901 milhões), lucro de 18,1 milhões de libras (US$ 29,5 milhões) e 1,5 mil lojas. O avanço da receita foi de 4,3% no ano passado.

Referência mundial no varejo de acessórios de moda – com produtos que incluem bijuterias, chapéus, lingerie, sapatos, bolsas, prendedores de cabelo e artigos de papelaria -, a Monsoon detém as marcas Monsoon Ladies, Monsoon Children, Monsoon Baby, Monsoon Home e Accessorize.

Tatimoto disse que a companhia trouxe para o Brasil a linha Monsoon Children, que tem apresentado um bom ritmo de vendas e avalia agora trazer a Monsoon Ladies, de bolsas e acessórios para mulheres.

Para tentar ampliar as vendas, a empresa também está adaptando a apresentação de produtos nas lojas, para agregar à rede o conceito de lojas de presentes – seguindo uma linha adotada pela rival Morana, do grupo Ornatus. E vai participar das liquidações do Black Friday, mas prevê oferecer produtos com 30% de desconto nas lojas físicas e na internet por três dias, e não apenas em 28 de novembro – data oficial do evento de varejo.

No Brasil, a operação on-line cresce em torno de 20% e responde por 3,5% da receita da empresa no país. No mundo, a operação de internet da Accessorize cresce em torno de 25% ao ano e representa aproximadamente 5% da receita global da companhia.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3781108/accessorize-planeja-retomar-expansao-com-franquias#ixzz3JTFrLCG3