25 julAlugar loja em aeroporto é mais caro do que em shopping center

Escrito por Marina Gazzoni, do Estadão Conteúdo

Lanchonete popular do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Lanchonete popular do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Os aeroportos brasileiros superaram os shoppings de luxo na lista de endereços mais caros para o varejo.

As licitações mais recentes para alugar uma loja no aeroporto de Congonhas, por exemplo, fecharam com preços bem superiores à média do metro quadrado cobrado no shopping Iguatemi, em São Paulo, que custa R$ 769, segundo ranking da Cushman&Wakefield de 2012, que traz o espaço como o mais caro para os lojistas no Brasil.

A fabricante de meias e roupas íntimas Lupo, por exemplo, inaugurou no mês passado uma loja no aeroporto de Congonhas – um espaço de 21 m² , cujo aluguel custa R$ 20 mil.

São R$ 952 por cada metro quadrado ocupado, o preço mais alto pago pela rede, que mantém cerca de 250 lojas no Brasil, de acordo com a gerente de franquias da marca, Carolina Pires. Isso porque Lupo conseguiu levar o espaço pelo preço mínimo. Como foi a única empresa interessada na licitação, não teve de participar de um leilão.

No caso da lanchonete popular de Congonhas, que prevê a oferta de alimentação a preços comedidos, uma disputa entre nove empresas no pregão realizado no fim do ano passado inflou o valor de locação para quase quatro vezes o lance inicial. A área de 68 metros quadrados no subsolo do desembarque foi alugada por R$ 67 mil mensais pela RA Catering, ou R$ 985/m².

A Infraero faturou R$ 1,3 bilhão com a exploração comercial dos aeroportos em 2012, uma alta de 17,5% em relação a 2011. Ao todo, a empresa tem 5 mil contratos ativos em 63 aeroportos, que lhe garantem cerca de 30% de sua receita.

“O preço disparou nos últimos anos e superou os shoppings de luxo. Isso não era uma situação normal no País”, disse Mauro Gandra, presidente da Associação Nacional de Concessionárias de Aeroportos Brasileiros (Ancab), entidade que reúne as principais empresas que alugam espaços nos aeroportos.

Ele atribui a alta no valor das locações ao reajuste de preços na tabela da Infraero e à maior concorrência entre os varejistas pelos espaços.

O especialista em infraestrutura aeroportuária e consultor da Aeroservice, Mário de Mello Santos, diz que o custo mais alto do aluguel em aeroportos do que em shopping centers é praxe no exterior.

O motivo é que o varejista tem acesso a um local com tráfego de passageiros intenso e concorrência menor. Os aeroportos brasileiros registraram 193 milhões de embarques e desembarques no ano passado, segundo a Infraero.

“Um local com limitação de concorrência permite que o varejo trabalhe com margens mais altas. Por isso tende a ser mais caro”, disse o presidente do Programa de Administração de Varejo, Claudio Felisoni.

No Brasil, a alta dos aluguéis nos aeroportos foi puxada por uma mudança no formato da licitação da Infraero no fim de 2009. “Começamos a oferecer os espaços por meio de pregão presencial, que propicia uma disputa maior entre as empresas”, disse o superintendente regional da Infraero em São Paulo, Willer Furtado. “Uma pode cobrir o lance da outra, o que antes não era possível, e isso acaba pressionando os preços.”

A Infraero estabelece um preço mínimo para a locação do espaço e inicia um leilão. Segundo Furtado, o valor é definido pela Infraero de acordo com pesquisas feitas em todos os aeroportos administrados pela estatal e até em shopping centers.

Texto extraído de: http://exame.abril.com.br/economia/noticias/aluguel-em-aeroporto-e-mais-caro-do-que-em-shopping-2?page=1