16 dezAmericanas Advent e Warburg Pincus compram o controle da Dudalina

Escrito por Marina Falcão e Thiago Resende, do Valor Econômico

dudalina

A varejista e fabricante de vestuário catarinense Dudalina, famosa por suas camisas femininas, vendeu 72,3% do seu capital para as gestoras de investimento em participações Advent e Warburg Pincus (WP), ambas americanas.

Segundo uma fonte próxima à operação, a Dudalina foi avaliada em cerca de R$ 800 milhões. As empresas não informaram o valor do negócio – que já recebeu sinal verde do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) – tampouco confirmaram que a fatia vendida foi de 72,3%.

A Dudalina deve encerrar o ano com faturamento de cerca de R$ 500 milhões e mais de 90 lojas, a maior parte delas próprias. Além da bandeira Dudalina, a empresa tem lojas exclusivas da marca Individual.

A companhia conta ainda com uma forte operação no canal atacadista, no qual se consolidou antes de partir para o varejo, três anos atrás. Foi a grande virada da Dudalina, que, a partir de então, começou a ganhar projeção no mercado de moda de alto padrão, ampliando sua presença em shoppings centers.

De uma tradicional empresa industrial do setor têxtil de camisas para homens, a Dudalina rapidamente se estabeleceu no varejo com foco no público feminino. As camisas da marca para mulheres custam em média R$ 300 e vão do tamanho 34 até 50. A grife tem um perfil “democrático”, segundo costuma dizer Sônia Hess, presidente da companhia.

Apesar da venda do controle, Sônia, de 58 anos, continuará à frente do negócio. Concluída a transação, a empresária ainda terá sozinha uma fatia de 6,31% da Dudalina. Outros sócios minoritários devem responder por participação de 21,42% na empresa.

Antes da venda da Dudalina, Sônia costumava comentar, em entrevistas, que tinha a ambição de alcançar faturamento de R$ 1 bilhão em 2016. O plano parecia plausível dado o rápido crescimento nos últimos anos. Em entrevista ao Valor no ano passado, a empresária disse que, em 2012, o faturamento da Dudalina avançou mais de 35% e que, em 2011, as vendas tinham aumentado acima de 57%.

Ao lado de 16 irmãos, a Sônia ajudou, desde muito jovem, a tocar a confecção de camisas no interior de Santa Catarina fundada pelos pais “Duda” e “Adelina”, 55 anos atrás.

A venda da companhia foi aprovada sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Para dar um parecer positivo, o órgão de defesa da concorrência considerou que as gestoras de fundos não têm investimentos em empresas de ramos relacionados ao da Dudalina.

A Advent tem sob sua gestão cerca de US$ 32 bilhões em ativos e é uma das maiores gestoras de ‘private equity’ no mundo. Desde que foi criada, a empresa já investiu em mais de 280 companhias em 36 países. No Brasil, a Advent ficou conhecida por investimentos relevantes na Kroton, do setor de educação, e IMC, dona dos restaurantes Viena e Frango Assado.

Já a Warburg Pincus, fundada em 1966 e com sede em Nova York, tem mais de US$ 35 bilhões em ativos sob gestão. Seu portfólio atual de mais de 125 companhias é diversificado por estágio, setor e geografia. Há, por exemplo, companhias de energia, serviços financeiros e saúde.

Duas semanas atrás, a gestora de ‘private equity’ 2bCapital, controlada pelo Bradesco e Banco Espírito Santo (BES), acertou compra de uma fatia minoritária na varejista de moda masculina Aramis. Segundo o Valor apurou, a 2bCapital injetou cerca de R$ 100 milhões na Aramis para ficar com uma fatia que pode alcançar até 49% em cinco anos.