19 marAs 10 empresas campeãs de reclamação do Procon-SP

Na última quinta-feira, dia 15/03, o Procon-SP divulgou a lista das empresas que mais receberam reclamações no ano de 2011.

O ranking leva em consideração apenas queixas que exigiram abertura de processo administrativo para que fossem solucionadas. E é importante lembrar que as primeiras colocadas não são necessariamente aquelas que ignoraram reclamações dos consumidores. O Carrefour, por exemplo, ocupa o 9º lugar da lista, apresentando 91% de queixas não resolvidas.

1 – Bradesco

Após ocupar o 3º lugar na lista de reclamações no ano de 2010, o segundo maior banco privado subiu no ranking, apresentando 1.723 reclamações. O Bradesco é o campeão de demandas por não conseguir solucionar os casos em fase preliminar.
No total, 50% das reclamações apresentadas contra o Bradesco não foram atendidas.

2 – B2W

Responsável pelos sites de comércio eletrônico das Lojas Americanas, Submarino e Shoptime, a B2W foi a empresa que mais escalou posições no ranking, pulando da 21ª posição em 2010 para o segundo lugar do pódio em 2011. No total, a companhia recebeu 1.574 queixas, contra apenas 323 no ano anterior, um aumento de 487%. A maior parte dos registros aponta problemas na entrega dos produtos dentro do prazo acertado na hora da compra.

Embora a empresa atenda 60% das reclamações, não demonstra o empenho esperado para reduzir o número de demandas. Na última quarta-feira, dia 14/03, a empresa conseguiu uma liminar na justiça, anulando a suspensão de vendas em seus sites estabelecida pelo Procon, que também aplicou uma multa de 1,74 milhão de reais contra a companhia.

3 – Itaú

O Itaú é a terceira empresa no ranking, com 1.383 reclamações registradas no Procon em 2011. Em 2010, a empresa ocupava o primeiro lugar da lista. Numa análise feita de acordo com o código de defesa do consumidor, a empresa demonstrou grande esforço em solucionar as reclamações na fase inicial, o que diminuiu o número de processsos administrativos contra o banco. Mas, ainda assim, a permanência de lançamentos não reconhecidos em cartão de crédito e cobranças de tarisfas em financiamentos com o plásticos são destacadas pelo Procon-SP.

4 – LG

A LG reuniu um total de 1.164 reclamações no ano de 2011, com 25% de demandas não solucionadas. No ano de 2010, a empresa ocupava o oitavo lugar no ranking. O órgão avalia que, desde o início do ano, houve melhoria no atendimento, ao passo que a LG foi convocada a prestar esclarecimentos sobre o aumento no número de reclamações.

5 – Tim

Em 2010, a Tim ocupava a 13ª posição no ranking, piorando sua desenvoltura ao passar para o 5º lugar no ano de 2011. No total de 937 reclamações, 42% foram deixadas em aberto. O aumento de 65% no número de cadastros deve-se a persistência de reclamações sobre a dificuldade de realizar chamadas, incluindo a interrupção das ligações com cobranças a cada nova tentativa. O problema foi apontado tanto por usuários dos planos pré-pagos quanto dos pós-pagos. Serviços de acesso à internet por banda larga também foram motivos de queixa em função da queda de sinal e fornecimento de velocidade inferior à contratada. Por último, o Procon-SP também chama a atenção para a falta de precisão nas informações sobre os pacotes de acesso à internet em roaming internacional.

6 – Telefônica

Durante o ano de 2011, a Telefônica reuniu o total de 835 reclamações. Sob o ponto de vista do Procon-SP, a empresa expandiu as opções de serviços sem ter estrutura para garantir a oferta dos mesmos.
Muitos usuários apontaram problemas considerados básicos, como a irregularidade no funcionamento das linhas, presença de ruídos e dificuldade para realizar e receber chamadas. A banda larga Speedy também foi fonte de dor de cabeça para os consumidores devido a falhas de prestação de serviços e “insistente oferta”.

7 – Oi

Somando um total de 806 queixas em 2011, a Oi é mais uma empresa de telefonia a se destacar no ranking, ocupando a 7ª colocação.
Os aspectos mais presentes nas reclamações foram: descumprimento de oferta, envio de cobrança com valor superior ao tipo de plano contratado, falta de sinal e baixa velocidade para banda larga.

8 – Eletropaulo

Responsável pelo fornecimento de energia, a Eletropaulo ocupa o 8º lugar no ranking, com 801 reclamações. Ao longo do ano de 2011, 74% das queixas permaneceram sem resolução. A Procuradoria Geral de São Paulo chegou a solicitar à Aneel um pedido de intervenção administrativa visando melhorar a prestação de serviços da Eletropaulo.

9 – Carrefour

Com 746 reclamações, a rede de supermercados ocupa o 9º lugar da lista, com um índice de 91% de queixas não respondidas. Este desempenho se deve, principalmente, ao cartão Carrefour oferecido nos supermercados. O Procon-SP afirma que os consumidores questionaram transações não reconhecidas, tarifas e envio de produtos não solicitados, especialmente seguros.

10 – PanAmericano

Pertencente ao BTG Pactual e à Caixa, o PanAmericano ocupa a 10ª posição, com 716 queixas registradas em 2011. Destas, 77% não foram solucionadas.
Grande parte dos problemas relaciona-se ao lançamento de valores não reconhecidos em cartão de crédito, além de cobranças irregulares. O Procon-SP também aponta reclamações sobre uma série de cartões gratuitos que posteriormente teriam cobrado tarifa de manutenção

 

Texto original presente em: http://exame.abril.com.br/negocios/gestao/noticias/as-empresas-mais-reclamadas-do-procon-sp-em-2011?p=1#link