10 outComércio sofreu perda de até 50% com manifestações

Escrito por Paula Furlan, da Consumidor Moderno

protestos-brasil

As manifestações que estão acontecendo há alguns meses no país possuem um outro lado de que pouco se fala: o prejuízo dos estabelecimentos comerciais nos hotspots dos protestos, como a região da Avenida Paulista e o centro de São Paulo.

O assessor econômico da FecomercioSP, Jaime Vasconcellos, fez uma análise para determinar o saldo de tais eventos até o momento para o comércio. Ele avalia que o prejuízo varia de acordo com cada tipo estabelecimento, pois a violência das manifestações não é uniforme. Tais prejuízos vão desde vitrines quebradas/danificadas, até a própria imagem do corredor comercial ou do estabelecimento em questão. “Calculamos que as perdas variam em até 50% do faturamento diário dos estabelecimentos comerciais vítimas das violências. Considerando que a receita corrente diária do varejo paulistano gira em torno de R$ 430 milhões, têm-se uma ideia do tamanho do prejuízo à atividade econômica na capital paulista, com manifestações criminosas. O prejuízo não é só do empresário, mas do setor comercial como um todo, englobando comerciante, trabalhador e todos nós consumidores”, considera o especialista.

As primeiras manifestações começaram no país durante o mês de junho, impelidas pelo movimento Passe Livre, que reivindicava a revogação do aumento da tarifa do ônibus em São Paulo e gratuidade no transporte para estudantes.

Até o mês de setembro, o Brasil já contabilizava ao menos R$ 15 bilhões em prejuízos decorrentes das manifestações de rua que se iniciaram em junho.

Texto extraído de: http://consumidormoderno.uol.com.br/hot-news/manifestac-es-causaram-perdas-de-ate-50-do-faturamento-no-comercio