26 junCompras de vestuário no exterior caem 48%

Por Maria Cristina Farias, da Folha de São Paulo

vestuario

As importações de itens de vestuário caíram 47,6% nos cinco primeiros meses deste ano na comparação com o mesmo período de 2015, de acordo com a Abit (associação dos fabricantes do setor).

De janeiro a maio, o valor comprado do exterior foi de US$622 milhões (R$2,1 bilhões). A estimativa da entidade é que o segmento encerre 2016 com US$1,3 bilhão (R$4,2 bilhões) de importações.

“Nos últimos meses, a falta de previsibilidade do preço do dólar foi tão grande que as empresas ficaram muito receosas de importar esses produtos”, diz Rafael Cervone, presidente da associação.

No mesmo período, o Brasil gastou 53,9% a menos em vestimentas da China que no ano passado. O país asiático é a principal origem dos têxteis e confeccionados que os brasileiros adquirem lá fora.

Com o desaquecimento do consumo e o risco de desemprego ampliado, o varejo também está mais resistente a aumentar seu estoque, lembra.

O total das vendas nacionais no exterior também foi menor, houve uma queda de 5,36%. Argentina, Estados Unidos e Paraguai, que representam os principais destinos de todos os negócios do setor, compraram menos do Brasil.

“Isso ocorreu porque os preços dos produtos lá foram caíram e nós nos tornamos competitivos há pouco, com o câmbio”, avalia Cervone, que também responde pela Technotex, de filtros e telas industriais.

Até o fim deste ano, a entidade projeta exportar mais, mas ainda não tem uma estimativa fechada do percentual.

Texto extraído de: http://www1.folha.uol.com.br/colunas/mercadoaberto/2016/06/1785059-compras-de-vestuario-do-exterior-caem-48.shtml#!