29 outConheça a Bikentrega, franquia que entrega com bikes

Escrito pela Redação da Valor Econômico

bikentrega

Bicicleta, tecnologia da informação, espírito empreendedor e qualidade de vida. Esses foram os ingredientes que construíram a paulistana Bikentrega, a primeira courier a oferecer ao mercado um novo modelo de negócio em sistema de franquia. O fundador da empresa, Emerson Violin, de 36 anos, formado em gestão de tecnologia da informação, está aguardando os trâmites burocráticos da Associação Brasileira de Franchinsing (ABF) para fechar os contratos com interessados em replicar sua empresa para Belo Horizonte, Brasília, Jundiaí, Campinas e Franca (interior de São Paulo). Uma outra unidade da Bikentrega está sendo criada em São Bernardo do Campo (SP) como filial, e não franqueada.

“Resolvi abrir franquia em resposta à grande procura que tive de pessoas interessadas na empresa”, diz Violin. Criada em 2010, a Bikentrega, segundo ele, tem um nome que identifica diretamente a atividade de transporte por bicicletas, o que é um diferencial em relação a outras empresas similares que já existem em São Paulo e em outras cidades do Brasil. Segundo os dados do site VádeBike, há 23 empresas de entrega por bicicletas, em 13 cidades brasileiras. Violin explica que a maioria delas não tem as características de uma atividade empresarial, com processos sistematizados. “Em alguns casos são ciclistas que oferecem o serviço ou empresas de motoboys e entregas por veículos que agregam a bicicleta para usar o apelo de sustentabilidade”, explica.

No caso da Bikentrega, o conhecimento em gestão de tecnologia da informação de Violin permitiu que a empresa ganhasse, em pouco tempo, processos totalmente automatizados, tanto operacionais como administrativos. “Começamos com controles em papel e depois automatizamos tudo.” Outra diferença é a manutenção da proposta do cicloativismo do fundador. “Não incluirei serviços motorizados, pois a intenção é conquistar espaço nas ruas para as bicicletas, humanizando as relações entre as pessoas e das pessoas para com as cidades”, diz.

A Bikentrega tem 12 funcionários, alguns com carteira assinada e outros como autônomos. A empresa possui uma frota de bicicletas, embora a maioria dos bikeboys prefira usar o próprio veículo. Violin prefere não dizer qual é o faturamento da Bikentrega, mas garante que vive apenas com o rendimento da empresa.

A Bikentrega atua em um raio de 15 quilômetros da sede, no bairro de Vila Mariana, e transporta mercadorias de até 8 quilos. Para abrir uma franquia, o investimento inicial será entre R$ 10 mil e R$ 15 mil, incluindo gastos com um escritório, que deve ter um espaço para descanso do pessoal, vestiário, chuveiro, mesa com alimentos saudáveis, água, computadores e sistemas de automação. “O momento é propício para a atividade, pois a sensibilização para as bicicletas está aumentando rapidamente, em São Paulo e em outras cidades do Brasil”, diz. (CLT)