24 abrContém 1g abrirá lojas de rua em cidades menores

Escrito por Adriana Meyge, da Valor Econômico

contem 1g

A rede de lojas de maquiagem Contém 1g tem uma nova estratégia para conseguir se expandir em um mercado dominado por gigantes. A empresa só abria lojas em shopping centers com foco nas classes A e B, mas a partir deste ano passa a ter também lojas de rua e em cidades menores. Para isso, a companhia criou um modelo de franquia mais barato e terá duas novas marcas com preços mais baixos no portfólio.

O plano é passar dos atuais 170 quiosques e lojas para 1 mil pontos de venda em 2020. Estudos feitos pela companhia indicam potencial para até 1,2 mil lojas com o novo conceito, afirma o fundador e presidente da Contém 1g, Rogério Rubini.

Após elevar o faturamento de 20% a 25% ao ano entre 2007 e 2012, a receita da companhia estacionou no ano passado. Mesmo com a abertura de 25 lojas, as vendas ficaram praticamente estáveis em cerca de R$ 150 milhões. O ano não foi fácil para o mercado de maquiagem em geral, que recuou 2% (em dólares) em 2013, para US$ 3,4 bilhões, segundo a Euromonitor.

Nos últimos anos, marcas estrangeiras especializadas em maquiagem aumentaram seus investimentos no país, como a rede americana MAC e a Maybelline, da L’Oréal, que abriu quiosques. A varejista multimarcas francesa Sephora também trouxe novos nomes internacionais ao país.

Entre as maiores do mercado, o grupo Boticário tem se destacado em meio à concorrência. Além de expandir as vendas nas lojas e na venda direta de O Boticário, o grupo paranaense criou a rede especializada em maquiagem “Quem disse, Berenice?”, que em um ano e sete meses já abriu 112 lojas.

Nos últimos cinco anos, enquanto o mercado de maquiagem cresceu 73%, a rede de franquias O Boticário, com 3,6 mil lojas, dobrou sua participação no segmento para 13,4%, segundo a Euromonitor. No ano passado, a rede alcançou a vice-liderança ao ultrapassar a Natura, que ficou em terceiro lugar com uma fatia de 12,8%.

A líder Avon tem quase o dobro do mercado da segunda colocada, mas em cinco anos perdeu 7 pontos percentuais de participação. Mesmo investindo 60% mais em marketing para o relançamento de sua principal linha de maquiagem no ano passado, a companhia americana de venda direta continuou perdendo terreno.

A Contém 1g é a quarta marca do mercado, com cerca de 3% de participação. Rubini passou cinco anos reposicionando sua marca para o público A e B, mas percebeu que a empresa precisava ir além para conquistar seu espaço diante de gigantes como Avon, Boticário e Natura. “Queremos atingir o público ascendente”, diz o empresário.

Com a inclusão das lojas de rua em seu plano de expansão, a Contém 1g estudou formas de baratear o investimento dos franqueados. A empresa conseguiu reduzir o desembolso total de R$ 343 mil para R$ 195 mil em uma loja, e de R$ 167 mil para R$ 120 mil em um quiosque. As tintas usadas na nova loja são mais econômicas e o mobiliário dispensa montadores, entre outras mudanças.

Se os shoppings que eram alvo da Contém 1g só estão em cidades com mais de 200 mil habitantes, a nova loja de rua permite chegar a localidades com 50 mil moradores no Sul e Sudeste e 90 mil habitantes nas outras regiões do país, segundo Rubini.

Até julho, o empresário quer ter duas marcas além da Contém 1g Make-Up, “uma mais jovem e outra mais acessível”. Um dos produtos mais vendidos da empresa hoje é uma base para o rosto por R$ 165. Os principais concorrentes também têm três opções de marca de maquiagem. O Boticário tem Make B., Intense e Capricho. A Natura tem Una, Aquarela e Faces. A Avon tem Avon, Color Trend e Renew.

Com o novo plano de expansão, a Contém 1g deve voltar a crescer no segundo semestre, prevê Rubini. “Se tudo sair como planejado, vamos abrir 60 lojas e crescer 25% este ano”, afirma.

A Contém 1g nasceu como confecção em 1984, tornou-se uma empresa de venda direta de perfumes e, em 2007, uma rede de lojas de maquiagem. A empresa tem uma fábrica em São João da Boa Vista (SP). Segundo Rubini, a unidade trabalha apenas com um turno atualmente e tem capacidade para suportar o crescimento dos próximos três a quatro anos.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3522170/contem-1g-tera-lojas-de-rua-em-cidades-menores#ixzz2zoeC42fN