18 fevEmpreendedorismo: Brasileiro faz sucesso com restaurante na Alemanha

Por Valdir Ribeiro Jr, da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Fabio Wahl em frente ao seu restaurante, em Hamburgo (Foto: Divulgação)

Fabio Wahl em frente ao seu restaurante, em Hamburgo (Foto: Divulgação)

Em 1996, Fabio Wahl, na época com 22 anos, desembarcou em Hamburgo para estudar alemão. Em pouco tempo, o jovem já estava com dificuldades financeiras para se manter no país. Para não precisar voltar ao Brasil, começou a vender bolo de chocolate. A receita da sua mãe fez sucesso e, a partir daí, ele nunca mais parou de cozinhar. “Todos ficaram maravilhados com aquele bolo”, diz.

Os primeiros clientes do jovem brasileiro foram os alunos e professores da escola. Depois, Wahl começou a vender o doce nas ruas. Abordava pessoas na calçada e batia de porta em porta. Segundo ele, os alemães são bastante reticentes em relação aos alimentos que consomem. “Quando alguém comprava o bolo pela primeira vez, dava para perceber que era mais para me ajudar, porque a pessoa levava só um pedaço. Mas, depois, quando eu voltava na semana seguinte, às vezes, a pessoa ficava com metade do bolo”, conta.

Em 2000, ele vendia 120 bolos por mês. Naquele mesmo ano, mesmo sem ter nenhuma formação em gastronomia, Wahl decidiu abrir um bistrô, onde poderia vender refeições e, claro, o famoso  bolo. Para conseguir iniciar seu primeiro empreendimento, o brasileiro fez um empréstimo de 45 mil marcos, o que equivale hoje a € 20 mil — em 2000, a Alemanha ainda não tinha adotado o euro como moeda oficial.

O restaurante, nomeado Filón, era pequeno e simples: tinha apenas sete mesas e uma funcionária, que até hoje está no negócio e é o braço direito de Wahl. Em um ano e meio, o empréstimo para abrir o negócio estava pago. “Eu trabalhava quase todos os dias, com jornadas que iam de 12 a 14 horas. Levou um tempo muito longo até a casa se estabilizar, porque não tínhamos uma linha bem definida se ficaríamos apenas no bolo ou na comida”.

Em 2002, eles finalmente decidiram investir mais nas refeições completas. Wahl conta que tinha interesse em levar a culinária brasileira para a Alemanha, mas, as mesas pequenas não comportavam grandes porções. “Foi aí que decidimos montar uma casa de comida espanhola, de tapas, que são porções pequenas”, diz.

As porções do Filón custam, em média, € 12,90 (Foto: Divulgação)

As porções do Filón custam, em média, € 12,90 (Foto: Divulgação)

Hoje, além da loja matriz, o Filón tem quatro franquias espalhadas pela cidade de Hamburgo. Seus pratos custam, em média, € 12,90. “Como as porções são pequenas, um cliente pede em média duas unidades por refeição”, afirma Wahl. Cada um dos cinco restaurantes serve entre 150 e 160 refeições por mês, e além da comida, ainda são vendidas sobremesas e dois tipos de vinhos diferentes produzidos pelo próprio restaurante.

Equipe politécnica

A principal estratégia executada por Wahl no Filón foi estimular a formação da sua equipe. Atualmente, o brasileiro conta com 75 funcionários que fazem de tudo. “Eles sabem atender clientes, trabalhar na cozinha, conhecem champanhe, vinhos e queijos”, explica. O empreendedor conta que essa política ajudou a diminuir seus custos com folha de pagamento em 35%.

Hoje, para Wahl, voltar ao Brasil já não é mais uma opção. Para o próximo ano, a meta é abrir novas franquias do restaurante em Frankfurt e Munique. “Mas essas lojas serão vendidas apenas para pessoas que trabalham ou já trabalharam no Filón, pois estarão familiarizadas com a filosofia da nossa empresa”, diz.

Texto extraído de: http://revistapegn.globo.com/Empreendedorismo/noticia/2016/02/empreendedor-brasileiro-faz-sucesso-com-restaurante-na-alemanha2.html