12 agoEmpresa lança modelo de fast-food para saladas e massas

Escrito por Adriano Lira, da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

Criada há dois meses, Salada Urbana planeja vender 3 mil refeições em agosto (Foto: Divulgação)

Criada há dois meses, Salada Urbana planeja vender 3 mil refeições em agosto (Foto: Divulgação)

A vida corrida das grandes cidades deixa muita gente sem tempo para aproveitar o horário de almoço. Às vezes, não dá nem para sair do computador. A alternativa é ligar para um serviço de entrega qualquer. O problema é que a comida, provavelmente, não será das mais saudáveis. No entanto, uma empresa abriu suas portas com o objetivo de unir a praticidade do delivery a uma alimentação de qualidade: a Salada Urbana, que entrega saladas e massas em potes de vidro.

O criador da empresa é o paulista Luis Lopes, 45 anos. Acostumado a viajar pelo mundo, ele conheceu um negócio semelhante nos Estados Unidos. A diferença é que, no país, os produtos são vendidos em vending machines. “Quis fazer algo parecido, mas ainda mais saudável. Quis vender algo realmente natural, sem conservantes, e pensei que o delivery seria uma boa ideia”, afirma. Lopes começou a trabalhar no projeto no fim de 2013 e abriu a empresa em junho. Segundo ele, o investimento no negócio foi de aproximadamente R$ 100 mil.

São sete saladas diferentes, cada uma com características diferentes: há opções antioxidantes, detox e funcionais, além de variedades clássicas, com itens da estação e ingredientes variados. Três tipos de molho – caesar, italiano ou azeite – acompanham as saladas. A empresa também vende massas integrais, que acompanham molho ao sugo ou alfredo.

Todos os produtos custam R$ 18. Também é possível comprar kits. Neste caso, quanto mais potes, mais barato é o preço final por unidade. É possível comprar os produtos por telefone ou pelo site da empresa.

A sede da Salada Urbana fica na Granja Viana, distrito na região metropolitana de São Paulo. Mesmo assim, as operações da empresa estão focadas na capital. Não é cobrado frete para pedidos de quatro bairros da cidade: Moema, Pinheiros, Itaim Bibi e Jardins. Para outras regiões, é preciso fazer um pagamento adicional para receber os produtos.

Os pedidos devem ser feitos com pelo menos 24 horas de antecedência. Por trabalhar com produtos sem conservantes e prazo de validade menor, a empresa pede esse prazo para ter uma quantidade de itens compatível à demanda do dia. “Nos comprometemos a fazer a entrega até às 11h30 do dia seguinte”, diz Lopes.

A escolha pelo vidro, segundo o empreendedor, deu-se porque o material não interfere no sabor dos ingredientes. “O vidro é mais caro, mas não altera o sabor e pode ser reutilizado”, afirma. Além disso, a Salada Urbana se encarrega de destinar os potes usados a empresas de reciclagem. “Depois da segunda compra, o entregador pode recolher os vidros usados pelos clientes. Cerca de 80% das pessoas devolvem os recipientes”, afirma. Os clientes recorrentes ainda podem participar de uma promoção: a cada 20 potes devolvidos, eles ganham uma salada grátis.

No mês passado, Lopes estima que 2 mil potes foram vendidos. Para agosto, ele aposta na venda de 3 mil produtos.

Para o futuro, os planos são vários. Um dos caminhos é colocar geladeiras com os potes em academias. Além disso, ele já pensa em ampliar a operação, a fim de oferecer frete grátis para outras regiões de São Paulo. Por fim, o empreendedor já estuda a entrada do negócio no franchising. Mas nenhum desses cenários é concreto. “Tudo ainda é muito novo. Não imaginava tanto sucesso. Vamos estudar o melhor caminho a seguir.”

Texto extraído de: http://revistapegn.globo.com/Noticias/noticia/2014/08/empresa-faz-entrega-de-salada-fast-food-em-sp.html