02 setFranquias já consolidades encontram novos concorrentes

Escrito por Jacilio Saraiva, da Valor Econômico

arquitetos da pizza

O setor de franquias de pizzaria ganha novos concorrentes. Redes como mineira A Massa Pizzaria e a Arquitetos da Pizza, que oferece rodízio na casa dos clientes, entram para competir em um mercado com marcas consolidadas como a Dídio, Babbo Giovanni e a americana Domino’s Pizza. Há opções para novos empreendedores a partir de R$ 100 mil.

Para atrair consumidores e parceiros de negócios, empresas novas e antigas investem em cardápios de até 65 sabores e pizzas em formato retangular. De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento das franquias da área de alimentação passou de R$ 17,4 bilhões, em 2011, para R$ 20,5 bilhões, no ano passado.

A Massa Pizzaria aguarda finalização do modelo de negócio e do lançamento da marca pelo Projeto Minas Franquias, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG). A ação capacitou 32 empresas de pequeno porte para virarem franqueadoras. Segundo o sócio da A Massa Pizzaria, Marcos Antônio Zambalde Júnior, a empresa surgiu em Betim (MG) em 2007, para operar apenas com delivery, mas o crescimento do número de clientes o obrigou a abrir um salão em 2011.

“Este ano, vamos lançar a primeira franquia”, diz. O valor do investimento para novos franqueadores é de R$ 277 mil, com prazo de retorno estimado em 21 meses. O faturamento médio por unidade, ao ano, é de R$ 750 mil.

infográfico_franquias

Na Arquitetos da Pizza, que oferece sistema de rodízio na casa do cliente, o faturamento médio por empresa é a partir de R$ 100 mil. O franqueamento começou no ano passado. A rede tem uma unidade própria, quatro franqueadas em funcionamento e mais duas que serão inauguradas até o final do ano. “Teremos 12 franquias até o final de 2014 e 50 unidades, até 2018”, diz o sócio Francisco Alvarenga Campos Júnior. Antes de franquear o negócio, ele testou o modelo com um projeto piloto e se matriculou em um MBA sobre franquias.

O valor do investimento total em uma nova unidade da rede é a partir de R$ 100 mil, com prazo de retorno de 30 meses. São recomendados de um a cinco funcionários por loja, segundo Alvarenga. A franqueadora está em fase de testes com novos produtos, como lanches e massas.

Com 23 franquias no Brasil, a Dídio Pizza Delivery pretende abrir 15 lojas em 2013, ante cinco inaugurações no ano passado. “Oferecemos 49 sabores, inclusive uma linha light com massa integral”, explica Elídio Biazini, presidente e fundador da empresa, que iniciou o franqueamento cinco anos atrás, em 2008.

O investimento inicial na franquia é de R$ 280 mil, além de uma taxa de royalties de 5% sobre o faturamento bruto. O faturamento médio mensal de uma loja de 85 metros quadrados de área é estimado em R$ 70 mil. “O retorno do investimento é esperado depois de um ano e 11 meses”, afirma Biazini.

Na Babbo Giovanni, que oferece franquias desde 2007, já são 57 franqueadas em 14 Estados, além do Distrito Federal. De acordo com o diretor de expansão Pedro Paulo Couto, para ter um restaurante completo, os investidores devem gastar entre R$ 400 mil e R$ 600 mil, dependendo do estado e do tamanho do imóvel escolhido. “Se o franqueado quiser começar só com o delivery, o investimento fica em R$ 150 mil”, explica Couto.

A pizzaria, que oferece 65 opções no cardápio, abriu 17 franquias em 2012 e planeja instalar mais 20 em 2013. O plano é chegar a 100 pontos em 2019. São recomendados 12 funcionários por restaurante e três para o delivery, de acordo com Couto.

A americana Domino’s Pizza, com mais de 50 anos de mercado e dez mil lojas espalhadas em 73 países, também investe na diversidade de itens para atrair clientes e parceiros de negócios no Brasil. A cozinha entrega 26 opções e acaba de incluir uma linha com carne seca e cream cheese, em formato retangular.

“Criamos um novo modelo de loja, o “Pizza Theatre”, em que o cliente acompanha todo o processo de confecção do alimento, por meio de um balcão de vidro”, diz Henrique Pamplona, diretor geral da marca no país. “É possível ver a abertura da massa e a seleção dos ingredientes”.

A pizzaria tem 48 unidades franqueadas em 13 Estados e no Distrito Federal. Abriu 16 pontos em 2012 e a previsão é instalar mais 21 lojas até o final do ano. “Até 2016, o plano é ter 175 casas no país”. O investimento médio em uma franquia de 30 metros quadrados em praça de alimentação é a partir de R$ 405 mil. O faturamento por unidade, ao ano, é estimado em R$ 125 mil.

Para Rafael Augusto, diretor de marketing da Patroni Pizza, o Norte e Nordeste estão entre as regiões que mais demandam lojas, por conta da expansão dos shopping centers. A rede tem 154 unidades, sendo 142 franqueadas, em mais de 20 Estados. “Para este ano, é esperado um aumento no faturamento de 35%, com 38 novas lojas”.

A meta de expansão da Patroni é ter 400 pontos até 2017, fortalecendo a participação tanto em shopping centers como em lojas de rua. Oferece 30 sabores e traz novidades este ano, como unidades com bordas de “hot dog”. Para se tornar franqueado, o capital inicial é de R$ 300 mil. O faturamento médio por unidade, ao ano, é a partir de R$ 1,5 milhão.