24 outFranquias lucram com falta de água em São Paulo

Escrito por Priscila Zuini, da Exame.com

Franquia 5àsec: até 18% de aumento no faturamento por conta da falta de água

Franquia 5àsec: até 18% de aumento no faturamento por conta da falta de água

Quase nove em cada dez paulistanos já esperam ficar sem água por longos períodos nos próximos meses. Segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha, é a primeira vez que mais da metade da população de São Paulo enfrenta falta de água pelo menos uma vez no último mês.

Nesta semana, o nível de armazenamento do Sistema Cantareira bateu mais um recorde negativo, com apenas 3,2%, fazendo com que a Sabesp ampliasse o bônusna conta de água para os consumidores que economizassem ainda mais nos próximos meses.

Se a situação da água é péssima, para algumas franquias pode ser o momento de oportunidade. É o caso da rede de lavanderias 5àsec. Segundo Sérgio de Souza Carvalho Jr., diretor de marketing, TI e SAC da companhia, o faturamento das unidades em algumas regiões de São Paulo já cresceu até 18%. “As lojas das zonas sul e norte, principalmente, estão evidenciando isso”, diz Carvalho.

Para economizar água em casa, mais gente está escolhendo levar as roupas para lavar na lavanderia. “A gente percebeu uma mudança cultural também sobre o tipo de roupa que as pessoas estão trazendo. Muitas empresas liberaram os funcionários de trabalhar com roupa social e a gente percebeu aumento de peças do dia a dia, como calça jeans, camiseta e roupas de criança”, explica o executivo.

Com a economia na conta de água, os consumidores acabam gastando um pouco mais para recorrer ao serviço das franquias. Segundo Carvalho, a rede também está incentivando as franquias a economizaram, dando preferência para a lavagem a seco, feita apenas com produtos químicos, sem água.

Para o consumidor, o preço do serviço é padronizado por peças e não por tipo de lavagem. “As nossas máquinas economizam 80 litros de água por lavagem na comparação com o equipamento doméstico. Se você gasta 180 litros de água para lavar em casa, a gente gasta 100 litros. Quando fazemos a limpeza das peças no sistema a seco não utilizamos água e há uma economia ainda maior do recurso”, diz.

Outra rede que identificou uma oportunidade na seca foi a DryWash, de lavagem de carros. A empresa investiu 2 milhões de reais para tornar a lavagem a seco mais acessível e antecipou planos de ir para o varejo, previstos só para o próximo ano.

“A gente tem sentido um aumento significativo na procura de novos empreendedores para montar franquia ou operações independentes. Isso tem aumentado muito desde o início do ano, mas deu um salto nos últimos dois meses”, conta Lito Rodriguez, sócio fundador da DryWash.

Desde 2011, a empresa trabalha com uma estratégia multicanais, levando os produtos para lavagem direto ao consumidor. “A gente antecipou alguns investimentos de 2015. Não estávamos programando ir para o grande varejo, mas antecipamos e fechamos uma parceria com o Walmart para disponibilizar os produtos nos próximos 15 ou 20 dias”, diz Rodriguez.

Para consolidar o projeto e aproveitar a demanda que pode aumentar nos próximos meses, a rede investiu 250 mil reais nesta iniciativa.

O sistema usado pela empresa é considerado pioneiro no mercado e economiza até 300 litros de água por carro lavado. A empresa projeta um crescimento de 30% no faturamento neste ano, mas não divulga os valores em reais.

Texto extraído de: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/franquias-faturam-com-falta-de-agua-em-sao-paulo