21 julFusões e Aquisições apresentam queda de 7% no primeiro semestre do ano

Por João Sorima Neto, d’O Globo

fusões_aquisicoes

As operações de fusão e aquisição no Brasil tiveram um recuo de 7% no número de negócios e de 14% em volume financeiro no primeiro semestre do ano, em relação ao mesmo período do ano passado, segundo levantamento divulgado pela consultoria espanhol Transactional Track Record (TTR). De acordo com a TTR, foram registradas 441 transações que movimentaram R$76,5 bilhões, considerando  os  negócios que tiveram as cifras reveladas, diz o relatório elaborado em parceria com a Merrill Corporation. No ano passado, foram 471 negócios, que giraram R$88,8 bilhões no primeiro semestre de 2015.

“Tanto em 2014 quanto em 2015, o segundo semestre teve um desempenho melhor que o primeiro. Existe a expectativa de que isso também aconteça este ano”, diz Wagner Rodrigues, diretor de pesquisa e negócios da TTR para o mercado brasileiro.

globo1

No levantamento, a TTR considera aquisições, fusões e joint ventures (totais e minoritárias). Também estão no cálculo os recursos dos fundos de private equity e venture capital investidos em empresas.

Para Rodrigues um cenário econômico ruim, como se vê no Brasil atualmente, pode até acelerar algumas negociações. Ele observa que a desvalorização do real favorece as aquisições realizadas por empresas estrangeiras no Brasil.

“E muitas empresas vão precisar de sócios capitalizados para superar a crise ou vender ativos para amortizar dívidas”, afirma Rodrigues.

O mapeamento da consultoria mostrou que os estrangeiros estão especialmente interessados em empresas das áreas de tecnologia, que estiveram envolvidas em 78 operações, seguidas pelas áreas de internet (52 negócios); financeira e de seguros (34 negócios) e distribuição e varejo (44 operações). Houve, segundo a TTR, um aumento de 20% no número de transações no segmento de tecnologia e 23% no setor financeiro e de seguros em relação ao mesmo período do ano passado.

globo2

Segundo a consultoria, os americanos continuaram sendo os maiores investidores no país, com a aquisição de 32 empresas, uma redução de 33% no número de negócios realizados pelo país no mesmo período do ano passado. Em seguida, aparecem Luxemburgo (9 transações), Canadá (9 negócios), Alemanha (6 negócios), Espanha (6 transações) e França (5 transações).

Os fundos de private equity foram responsáveis por 44 negócios, sendo que em 20 transações houve a participação de fundos estrangeiros. Apenas 21 operações tiveram seu valor divulgado e o total foi de R$10,1 bilhões, alta de 16,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Houve também 62 operações, diz a TTR, envolvendo venture capital.

Texto extraído de: http://oglobo.globo.com/economia/fusoes-aquisicoes-tiveram-recuo-de-7-no-primeiro-semestre-do-ano-19758526