24 outHering reduz meta de abertura de lojas neste ano

Escrito por Cibelle Bouças, do Valor Econômico

hering

A fabricante e varejista de vestuário Cia. Hering apresentou uma alta de 21,7% no lucro líquido do terceiro trimestre em relação ao mesmo intervalo do ano passado, para R$ 70,9 milhões. O resultado da companhia foi favorecido por benefícios fiscais, que não se repetirão na mesma intensidade no quarto trimestre. Em função do cenário difícil, a Hering reduziu a meta de abertura de lojas no ano.

Em agosto, a Hering assinou um Termo de Acordo de Regime Especial com o governo de Goiás, que garantiu à companhia benefícios de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) de R$ 21,2 milhões, que elevou o lucro líquido. “O benefício fiscal de nove meses foi incluído no balanço do terceiro trimestre. Não haverá um efeito semelhante daqui para frente”, disse Frederico Oldani, diretor financeiro e de relações com investidores da Hering.

O terceiro trimestre foi difícil, na visão de Oldani, devido à Copa do Mundo e a uma política agressiva de preços. A receita líquida da Hering avançou 0,7% no período, para R$ 363,6 milhões. As vendas das lojas abertas há mais de um ano (mesmas lojas) recuaram 6%.

Oldani disse que espera uma melhora no desempenho no quarto trimestre, com as vendas das novas coleções e redução dos gastos operacionais. No terceiro trimestre, a despesa operacional cresceu 6,2%, para R$ 93,6 milhões. O executivo ponderou, no entanto, que a melhora em vendas não será significativa em função do cenário macroeconômico.

A companhia prevê fechar o ano com uma queda de 2 pontos percentuais na margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês), ante margem Ebitda de 26,1% registrada no ano de 2013. No terceiro trimestre, o Ebitda caiu 9,4%, para R$ 74,7 milhões. A margem Ebitda caiu 2,2 pontos percentuais, para 20,6%. Nos nove primeiros meses do ano, a margem Ebitda caiu 3 pontos percentuais, para 22,6%.

Oldani afirmou ainda que, devido à perspectiva de desaceleração do consumo no setor de varejo de moda, a Hering decidiu reduzir a meta de abertura de lojas para o ano de 2014, de cem lojas (sendo 70 Hering Store) para 75 unidades. De janeiro a setembro, a companhia abriu 29 lojas – 19 Hering Store e dez lojas infantis das marcas Hering Kids e PUC. Para o quarto trimestre, está prevista a abertura de 46 unidades, sendo 31 Hering Store, 13 Hering Kids e PUC e duas Hering For You.

“Diante do cenário atual, a companhia considera mais importante se concentrar em aumentar a rentabilidade das lojas”, afirmou Frederico Oldani, diretor financeiro e de relações com investidores da Hering. O executivo disse ainda que espera uma redução nos aluguéis de lojas, principalmente de shopping centers, no próximo ano em função da queda na demanda.

Para Oldani a Hering levará tempo para fazer a abertura das 25 lojas engavetadas neste ano. “O ano de 2015 ainda deve ser difícil do ponto de vista econômico”, afirmou Oldani. A redução na abertura de lojas não terá efeito significativo no plano de investimentos, considerando que a maioria das lojas seriam franquias, disse.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3745188/hering-diminui-meta-de-abertura-de-lojas-no-ano#ixzz3H1NJh3Bk

Post marcado com , , , , , ,