18 setJuxx aposta em sabores exóticos para crescer

Escrito por Juliana Ribeiro, do IG Economia

Com propriedades medicinais, bebidas de cranberry, ameixa e romã começam a cair no gosto dos brasileiros e devem render R$ 75 milhões à companhia em 2015

Enquanto grandes fabricantes de suco como Coca-Cola e Wow (dona da Sufresh) disputam, nas gôndolas, a preferência dos consumidores por sabores como laranja, uva, maçã e pêssego, a Juxx se destaca em um segmento pouco explorado: o mercado de sucos exóticos.

A companhia, que nasceu em 2007, depois que Edson Mazeto Júnior, então gerente de vendas de uma multinacional norte-americana de bebidas, comprou da empresa o negócio de sucos de cranberry. A Juxx não possui fábricas, importa do Chile o concentrado de frutas que é processado e envasado em unidades de terceiros, na região metropolitana de São Paulo e em Minas Gerais.

“Eles estavam deixando essas operações no Brasil, então fiz o pedido de compra”, relembra o empresário. A decisão foi arriscada, já que o suco não era conhecido no Brasil e precisaria conquistar o paladar dos brasileiros. Ao que parece, tudo caminha muito bem. Neste ano, a companhia prevê faturamento de R$ 18 milhões com a comercialização de 3 milhões de litros de suco.

Com um novo plano de negócios para a companhia e uma nova marca, Mazeto deu início às operações. Além do cranberry, a empresa também tem outros dois sabores de suco no mercado: romã e ameixa, e se prepara para lançar um quarto suco entre o final deste ano e início de 2013, todos em embalagens longa vida.

Atualmente, a Juxx está presente nas principais redes de varejo do país, como Pão de Açúcar e Walmart. De olho no mercado de festas e eventos, onde o cranberry já é protagonista de drinks como sex on the beach e cosmopolitan, a Juxx deve colocar no varejo, já na próxima semana, a versão em lata do suco. Com um formato menor do que as latinhas convencionais, Mazeto aposta na diversificação de consumidores. “O suco poderá ser vendido em barraquinhas, lojas de conveniência, bares e restaurantes, para consumo imediato”, diz.

Segundo o empresário, a estratégia de negócios da Juxx sempre se baseou no conceito de exclusividade. “Para lançar um novo produto, primeiro vemos se ele é inédito no mercado brasileiro”, explica.

Não foi apenas a excentricidade do sabor que garantiu à Juxx o crescimento nesse mercado. Pesquisas realizadas nas principais universidades do mundo apontam os benefícios das três frutas. No caso do cranberry, frutinha vermelha, cuja origem está nos Estados Unidos, é rica em antioxidantes e tem propriedades anti-inflamatórias.

No meio do ano, pesquisadores da Universidade Nacional de Taiwan divulgaram o resultado de um estudo em que comprova a eficácia da fruta e seus derivados na proteção contra infecções bacterianas nos canais urinários. Bom para a Juxx, já que muitos médicos e nutricionistas passaram a indicar o suco da fruta para pacientes. Tanto é que atualmente, o suco de cranberry responde por 75% das vendas da companhia. “Nossa ideia é ampliar a participação dos demais sabores conforme crescermos”, diz Mazeto.

Do outro lado, o consumo de sucos prontos para beber no mercado brasileiro vem crescendo. Segundo levantamento da Consultoria Nielsen, de janeiro a abril deste ano, foram vendidos 222,6 milhões de litros de suco, ante 202,1 milhões do mesmo período de 2011. “Este mercado tem muito potencial de crescimento, com a busca crescente por alimentação saudável”, explica Mazeto.

Prova desse crescimento está na própria Juxx, que planeja chegar a R$ 75 milhões de faturamento em 2015, quando espera uma comercialização superior a 10 milhões de litros.

Texto extraído de http://economia.ig.com.br/empresas/2012-09-17/juxx-aposta-em-sabores-nada-comuns-para-crescer.html