04 fevMarca de hambúrgueres vegetarianos cresce e vira franquia

Escrito por Katia Simões, do Valor Econômico

hareburger

Frequentador assíduo da praia de Ipanema, Raphael Kras, estudava comunicação à noite e queria passar as férias de verão de 2007 na Bahia. Sem dinheiro para a viagem, começou a pensar em algo que pudsese render alguns trocados. Na época, os cariocas começavam a dar valor à alimentação mais saudável e poucas eram as ofertas desse tipo de gastronomia na areia, principalmente para quem decidira, aos 19 anos, abandonar o consumo de carne como ele.

Com R$50 emprestados pela avó, comprou uma caixa términca e preparou oito hambúrgueres vegetarianos, que batizou de hareburger. “O que eu fazia, eu vendia”, lembra. O boca-a-boca tornou o sanduíche famoso e, em dias de sol ele comercializava entre 105 e 200 unidades, na época, a R$7 cada.

Em pouco tempo, Kras juntou o dinheiro e passou um mês na Bahia. De volta, percebeu que poderia transformar os hambúrgueres em um negócio de verdade. No fim de 2007, o Hareburger começou a ganhar perfil de fast food saudável, atendendo pedidos para eventos e entregas em domicílio, sem deixar a areia. “Por quatro anos, a praia foi nosso principal canal de venda e a concorrência começou a aumentar”, conta o empresário. “Foi quando decidi dar um passo maior”. Hoje a empresa produz cerca de 60 mil hambúrgueres por ano, vendidos a uma média de R$15 a unidade. O faturamento foi de R$1,1 milhão em 2014, resultado do bom movimento da loja, da abertura da primeira franquia e dos oito microempreendedores que revendem os produtos na areia, principalmente nas praias de Ipanema, Leblon e Pepê.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3885200/hareburguer-vai-do-isopor-franquia