25 abrMelissa abre loja conceito em Nova York

Escrito por Ticiana Werneck, do Portal No Varejo

Há seis anos a marca Melissa, de calçados femininos pertencentes à Grandene, abriu sua loja-conceito Galeria Melissa, na Oscar Freire, em São Paulo. O local, misto de loja e galeria de arte, foi idealizado como um canal de comunicação que reúne diferentes inspirações e desejos, e teve papel primordial ao associar a marca à arte, moda e design.

Numa breve retrospectiva, a Galeria já sediou exposições dos renomados irmãos Fernando e Humberto Campana, do estilista Alexandre Herchcovitch, além de trabalhos da estilista inglesa Vivienne Westwood. A cada temporada um artista é convidado para assinar a fachada.

Agora a ideia foi transportada para Nova York. A primeira loja-conceito da marca fora do Brasil reúne conteúdo e arte em suas instalações. “Como no projeto em SP, as vendas não são o ponto fundamental da nossa estratégia para NY, mas sim, uma consequência. Estamos mais empolgados com o potencial de disseminação de ideias e experiências que poderemos proporcionar com esse projeto em NY. Tenho certeza que a Melissa será vista de forma totalmente nova, não apenas em NY, mas nos EUA como um todo, dependendo do sucesso desse espaço”, conta Paulo Pedó, gerente da operação Melissa.

O projeto foi idealizado por Edson Matsuo, gerente da divisão de pesquisa, desenvolvimento e inovação, há 25 anos na empresa.

Instalada no badalado bairro do Soho, a Galeria Melissa NY é a concretização de um desafio: criar um espaço introspectivo que contraste com o cenário agitado e urbano de Nova York. Matsuo compartilha: “O caminho que perseguimos foi o de uma ‘caverna urbana’, um espaço que desperta o sentimento de acolhimento, de abrigo, mistério e de aventura, como acontece quando visitamos uma caverna”.

Os expositores das sandálias remetem a formações rochosas que surgem do chão e dos lados. E linhas inspiradas na malha viária do Soho decoram paredes, piso e teto. Todo mobiliário é modular para facilitar o futuro trabalho de artistas convidados que assinarão o interior do espaço. “Enquanto a Galeria Melissa SP se abre para o espaço urbano – com sua fachada marcante e versátil -, a de NY é mais intimista no sentido de abrigo e do mistério”, comparou Matsuo.

Para assinar a primeira exposição da Galeria Melissa NY, a marca convidou Eli Sudbrack, artista brasileiro radicado na Big Apple. Conhecido por seu trabalho irreverente, Eli promete causar impacto com instalações e projeções. Nele, malha de paetês enfeitarão as paredes do fundo e lados do ambiente. Uma estrela de neon enfeita a vitrine enquanto, no subsolo, um vídeo arte é projetado.

Texto extraído de http://www.portalnovarejo.com.br/universo/noticias/universo-no-varejo/galeria-melissa-em-nova-york