26 marNetshoes avalia abrir novo negócio no varejo eletrônico este ano

Escrito por Cibelle Bouças, do Valor Econômico

A Netshoes informou que avalia abrir um novo negócio na área de varejo eletrônico neste ano, como parte dos planos de sua expansão acelerada. Ontem, a varejista online de artigos esportivos anunciou que recebeu aporte de US$45 milhões da empresa americana de investimentos Riverwood Capital e do International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial voltado ao setor privado.

Os aportes receidos desde março de 2014 somam US$215 milhões. Nesse intervalo, a Netshoes ampliou o número de membros do conselho de administração, que agora conta com representantes do Riverwood, IFC, Tiger Global Management, GIC, Kaszek Ventures, Temasek Holdings, além de conselheiros como Paul Tagliabue (ex-dirigente da NFL), Cássio Casseb (ex-presidente do Banco do Brasil) e Nilesh Lankhani (ex-diretor financeiro da Yandex).

Leonardo Dib, diretor financeiro de companhia, disse que a Netshoes também avalia fazer uma aquisição como parte desse processo de crescimento.

“A perspectiva da empresa é manter um crescimento sustentável e, por isso, fará movimentos estratégicos. Fusões e aquisições são uma possibilidade”, disse Dib, sem fornecer mais detalhes. Em dezembro de 2014, a Netshoes já investiu R$35 milhões para lançar a Zattini, loja virtual de moda.

Com a iniciativa, a empresa passou a competir no mercado de moda online, atualmente a área que mais cresce no comércio eletrônico e que, em 2014, respondeu por 18% do volume de vendas pela internet no país. O consumo online responde por 3% do varejo de moda, ou cerca de R$6 bilhões. De acordo com a consultoria Euromonitor, esse segmento vai chegar a R$7,6 bilhões até 2018. Enquanto no Brasil 3% das vendas são feitas pela internet, nos Estados Unidos esse percentual chega a 8%, o que indica o potencial de expansão desse segmento no país.

“O mercado de moda é muito maior que o mercado de artigos esportivos e tem um forte potencial de crescimento em vendas pela internet”, afirmou Dib. De acordo com dados do Instituto de Estudos e Marketing Industrial (IEMI), o mercado de artigos esportivos movimentou R$15,11 bihões em 2014, contra R$199,7 bilhões do mercado de moda.

A Netshoes já é a maior empresa online de artigos esportivos. Para manter um crescimento acelerado, precisa diversificar a sua operação. Além da abertura da Zattini, a Netshoes avalia abrir outro negócio neste ano. “Um dos focos do investimento neste ano será em novas verticais. Existe grande potencial em moda mas vamos avalira outras possibilidades”, disse.

A companhia também planeja acelerar a expansão na América Latina. Os negócios no México e na Argentina cresceram mais de 100% em receita no ano passado e a meta neste ano é reforçar a atuação nos dois países. A companhia avalia ainda ampliar as linhas de marcas próprias. Em 2014, a Netshoes lançou as marcas All4One, de dispositivos para atletas, e Gonew, linha para apreciadores de esportes. Sem citar números, Dib afirmou que as marcas próprias tem contribuído para melhorar a rentabilidade da companhia.

A Netshoes fechou 2014 com avano de 20,1% na receita líquida, para R$1,2 bilhão. O prejuízo líquido foi de R$93,6 milhões, ante perdas de R$71,9 milhões em 2013. O resultado foi impactado por investimentos em novos negócios e na melhoria da operação. Segundo Dib, a Netshoes teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida) em 2014, mas ele não informou o valor. A expectativa é alcançar o equilíbrio financeiro em 2015.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3973838/netshoes-recebe-mais-um-aporte-e-avalia-abrir-um-novo-negocio