17 outNova tendência do varejo, o Discovery Shopping, atrai atenção dos varejistas

Escrito por Ricardo Jordão, do Portal No Varejo

Os sites de discovery shopping permitem que os consumidores organizem sua coleção de compras postando ou compartilhando suas preferências de produtos em uma arena virtual cheia de amigos compradores

Os sites de discovery shopping permitem que os consumidores organizem sua coleção de compras postando ou compartilhando suas preferências de produtos em uma arena virtual cheia de amigos compradores

Há dois mil anos, os romanos faziam suas listas de compras rabiscando o nome dos itens que eles precisavam em uma fina camada de cera em um pedaço de madeira. Hoje, são os tablets e smartphones que têm papel vital na jornada de compras, reavivando uma característica do varejo que domina há tempos a experiência de compra no mundo offline- o discovery shopping– que pode ser traduzido como um tipo de compra virtual que enfatiza os aspectos de navegação, dando aos clientes uma experiência de compra mais personalizada e mais próxima de uma atividade de lazer.

Os varejistas de lojas físicas já perceberam há muito tempo a importância da experiência de compra, criando ambientes que motivam os clientes a descobrir, discutir e compartilhar os produtos com seus amigos. No entanto, até recentemente, os consumidores que procuravam nas compras online uma sessão de “terapia” se deparavam com um modelo focado em barganhas, onde as opções de compras eram baseadas somente em preço e conveniência.

Na Rakuten, o modelo de varejo tem sido focado na criação de experiências divertidas de compra online, onde os consumidores podem descobrir e desenvolver relacionamentos pessoais com os varejistas. Então, nos últimos meses tem sido fascinante observar essa tendência se espalhar por todo o segmento online, à medida que é descoberta por consumidores curiosos que buscam um canal de varejo que possa surpreendê-los e entretê-los.

Alimentando essa mudança estão os sites de discovery shopping, que permitem que os consumidores organizem sua coleção de compras pinando¹, postando ou compartilhando suas preferências de produtos em uma arena virtual cheia de amigos compradores, geralmente através de seus celulares ou tablets.

1-Refere-se a inserir uma imagem no mural da rede social Pinterest

Esses sites também estão mudando o modo como os varejistas estocam seus produtos. Pela primeira vez, os lojistas podem saber exatamente o que os consumidores desejam comprar e desta maneira, são capazes de organizar seu estoque de acordo.

Uma grande descoberta

Um mural digital pode parecer um lugar improvável para uma nova era de compras começar, mas o site de imagens e vídeos Pinterest foi um dos primeiros a contribuir com esse fenômeno. Enquanto muitos usuários do Pinterest começaram compartilhando fotos de animais bonitinhos, fotos de férias ou citações inspiradoras, não demorou muito para que as pessoas começassem a “pinar” fotos de produtos que elas gostavam também – desde carros a mesinhas de café.

O Pinterest é atualmente visitado por mais de 20 milhões de pessoas por mês e tem sido o catalisador de uma nova geração de sites de compras, tais como Fancy, Pinshoppr e Curisma. Além de ajudar os consumidores a descobrir produtos interessantes e originais do mundo todo, estes sites entretêm o público; eles oferecem aos usuários uma experiência divertida e social, e a oportunidade de se conectarem com pessoas que possuem interesses comuns.

Varejistas experientes já reconheceram a oportunidade que essa tendência apresenta e estão ativamente incentivando seus clientes a compartilharem seus produtos em outros lugares da web. Além de proporcionar uma nova plataforma para dispor os produtos e direcionar tráfego para as lojas online, o surgimento desses sites oferece aos varejistas uma visão sobre o que está na moda e o que não está.

Removendo as suposições

Essa tendência está sendo ainda mais impulsionada pelo crescimento de sites de crowdfunding, que são plataformas de financiamento coletivo ou colaborativo, tais como o Kickstarter e Indiegogo, os quais fornecem aos fabricantes uma oportunidade de levantar opiniões sobre novos produtos por meio do crowdsource, além de ajudá-los a obter financiamento para levá-los ao mercado caso haja interesse suficiente.

Os próprios varejistas estão também adotando uma abordagem similar. Sites como o Made.com e o The Grommet estão oferecendo aos consumidores a oportunidade de comprar produtos que estão em pré-produção, que são novos no mercado ou em edição limitada. Assim como dar apoio a desenvolvedores e designers para testar novos produtos, esses sites permitem que os varejistas mais experientes evitem um depósito cheio de produtos não desejados.

Respondendo à demanda

Este é um momento de poder para os varejistas online. Graças a sites como Pinterest e Curisma, os varejistas mais do que nunca sabem o que os seus consumidores desejam. Já não é mais o caso das grandes marcas atraírem a atenção dos consumidores com produtos baratos. Agora, ao invés de comer pelas beiradas com preços insustentáveis ou produtos a preços abaixo do valor do mercado, os pequenos varejistas podem lançar mão do discovery shopping para aproveitar a onda desta tendência, além de tomar decisões  mais inteligentes ao estocar produtos mais populares.

Texto extraído de: http://www.portalnovarejo.com.br/index.php/component/k2/item/7707-discovery-shopping-varejistas-precisam-se-atentar-a-essa-nova-tendencia-do-e-commerce