25 julNovo modelo do Eat… Empório Restaurante deve abrir em São Paulo até o final do ano

Escrito por Mariana da Paz Trefaut, da Valor Econômico

eat...

Um novo modelo do Eat…Empório Restaurante deve abrir em dois shoppings de São Paulo até o final do ano. Trata-se do Eat…Gourmet, uma versão mais enxuta, que será apenas restaurante e não mais um complexo gastronômico com rotisserie, café e loja de vinhos.

O projeto faz parte da estratégia de ampliação do negócio, desde que passou para o comando de Celso La Pastina, dono também da importadora que leva seu sobrenome e da loja de vinhos World Wine.

Aberto, em 2012, por um grupo de sete sócios, o Eat… foi inspirado na rede Eataly – criada em 2007, em Turim, pelos empresários italianos Oscar Farinetti e Luca Filangieri. A Eataly tem 27 unidades, entre Itália, Estados Unidos, Japão, Dubai e Turquia. No Brasil, a primeira unidade da Eataly deve ser aberta em 2015.

No geral, o empreendimento da Vila Olímpia continua a reunir num mesmo espaço restaurante, empório, loja de vinhos e café. Mas para fazer a expansão, foram segmentados vários negócios dentro do Eat.

O principal é o restaurante, agora denominado Eat…gourmet, que possibilita a abertura de franquias. Há também o Eat…pronti, com pratos e massas para levar, o Eat… caffè, numa parceria com a Lavazza, o Eat…escola, com cursos e um espaço de eventos para 45 a 50 pessoas sentadas, que procura atrair o público corporativo da Vila Olímpia.

Diferentemente do primeiro conceito, que abarcava produtos de várias marcas, o Eat…Empório Restaurante não tem mais fornecedores terceirizados na parte de varejo.

Desde que reabriu no início do ano, depois de uma pequena reforma, tornou-se um centro gastronômico com foco no restaurante, que só vende produtos La Pastina, World Wine e pratos fabricados lá – de receitas da rotisserie a massas artesanais. O serviço também mudou. Agora é 100% à la carte.

“A ideia foi repaginada, mas mantive o nome original”, diz La Pastina, que não revela por quanto comprou a parte dos sócios nem com quais shoppings está negociando.

“Fizemos um bom acerto, porque havia muitas contas para pagar e uma reforma a ser feita. Para mim foi interessante ficar com a casa porque é complementar aos meus negócios e, no fim, o que a gente quer é promover a gastronomia”, diz ele, que atribui o fracasso do projeto inicial a problemas de gestão e pouco movimento.

As duas primeiras casas Eat…Gourmet que abrirão em breve têm como objetivo implementar o conceito e, portanto, ainda pertencerão a Celso La Pastina. Mas logo haverá três modelos de franquia. Um Eat…gourmet para áreas de gastronomia em shoppings, outro para rua, e o terceiro será uma versão menor, o Eat…express para praças de alimentação.

A proposta é abrir dez unidades – dois a três restaurantes por ano -, que podem estar situadas num raio de até 100 quilômetros da capital paulista. “Esse é um modelo vencedor, interessante para franqueados, porque ninguém precisará ter chef no local, apenas um espaço para finalização, o que permite uma área maior para mesas”, avalia Celso La Pastina.

Para abrir uma unidade de rua, ele estima o investimento em R$ 1 milhão. No caso dos shoppings, tudo depende do ponto, mas descontado esse gasto, o empresário diz que a loja maior custará R$ 1,8 milhão, enquanto a Express pode sair por R$ 350 mil.

Atualmente, a casa da Vila Olímpia tem faturamento por volta de R$ 600 mil mensais e a expectativa é que dê para chegar a R $1 milhão nesse endereço. “Precisamos reforçar o movimento à noite, no almoço temos recebido por volta de 150 pessoas por dia”, conta La Pastina.

Com a expansão, um dos objetivos é criar um centro de gastronomia que fortaleça as atividades da importadora La Pastina. “Há 67 anos só trabalhamos com produtos importados e, portanto, sempre com um risco cambial grande. Com o crescimento do novo negócio, vislumbramos a possibilidade de um risco menor e de não ficarmos mais 100% atrelados ao dólar”.

Texto extraído de: http://www.valor.com.br/empresas/3621170/dono-do-la-pastina-enxuga-modelo-do-eat-para-facilitar-sua-expansao#ixzz38Rahqj5S