15 janNRF 2015: O desafio de inovar no varejo

Mastering-the-Technological-Mobile-Roadmap-on-the-New-Customer-Journey-Session

Inovação é uma destas palavras mencionadas tão frequentemente no mundo dos negócios, que chega a perder seu sentido. Ser inovador (e permanecer reconhecido por isso) é um status cobiçado pela maioria das empresas hoje, especialmente aquelas onde o comportamento do consumidor continua a envoluir, e não é surpresa que Inovação tenha sido um dos principais temas discutidos no Retail’s Big Show desta semana.

Em uma das sessões a respeito do omnichannel, na segunda-feira, o Vice-Presidente Executivo de Ecommerce na Staples, Faisal Masud, disse que a inovação não é opcional, é obrigatória. “Você não tem escolha. É preciso inovar”, ele disse. Mas isso não é fácil, especialmente em grandes empresas. A inovação diminui quando os negócios estão dando certo.

“Numa grande empresa é difícil inovar. Você precisa ter oportunidades, então temos uma cultura que diz que errar é aceitável, contanto que você aprenda algo com isso”, disse Droege, head no Uber.

Afastar-se das responsabilidades diárias de correr atrás dos negócios e da rotina normal é um dos importantes aspectos que diferenciam os grandes centros de inovações como a Target, Nordstrom e Staples. Alison Corcoran, Vice-Presidente Sênior de Marketing para as lojas norte-americanas da Staples, disse que a empresa eventualmente mudava o centro de inovação da unidade de Boston para a de Seattle, em parte para atrair os melhores talentos.

staples

Masud disse que o pilar tecnológico da inovação será “mover dentro de casa”. “Os varejistas não são empresas… Mas eu acho que você verá mais empresas construindo seus próprios times de tecnologia”.

Conforme mais varejistas passarem a ver o digital como o guia de todo o comércio, a estrutura organizacional de muitas empresas crescerá e se inovará cada vez mais – mesmo que a maior parte das empresas aceitem o mundo de canais convergentes. Se não estiverem organizados para o omnichannel, os varejistas podem tomar seu próprio rumo.

O Digital e a estratégia estão ligados na Cole Haan, que se tornou uma empresa independente em 2012. Kyle Gallary é o Vice-Presidente de Estratégia Corporativa e Comércio Digital na Cole, e seu título torna mais claro como o digital influencia a empresa.

Para inovar no mundo do omnichannel, os varejistas precisam se livrar do pensamento separado por canal, mas também devem testar e aprender outros conceitos – e prestar atenção ao que acontece fora da indústria varejista. Gallary disse que quando a Cole Haan fechou parceria com a Uber Rush para oferecer a entrega-no-mesmo-dia por US$10 na cidade de Nova Iorque em compras online no mês de setembro, a promoção de três dias foi um sucesso imenso, com todos os consumidores recebendo as compras em até 1h.

Ao longo do dia, os mesmos temas emergiram para varejistas debaterem a respeito – focados em consumidores, não canais; para criar uma cultura onde você pode experimentar (e falhar); e ficar de fora da mentalidade puramente varejista.

Tradução do original presente em: https://nrf.com/news/the-challenge-of-retail-innovation