17 fevRede americana une esforços para abrir rede de franquias de petshop no Brasil

Por Felipe Silveira, da Folha de São Paulo

Petland

A norte-americana Petland aposta em criar uma grande rede de franquias de pet shops de bairro no Brasil.

As lojas da empresa, que chegou ao Brasil em maio de 2014, têm tamanho médio de 200 metros quadrados.

Segundo Rodrigo Albuquerque, sócio-diretor da Petland no Brasil, a empresa oferece ferramentas de administração para quem quer possuir um pet shop.

“Este é um mercado que cresce, mas ainda de modo muito amador. Beira o artesanal em alguns momentos. A maior parte das operações são comandadas por veterinários com perfil técnico, que não têm conhecimento de varejo, gestão de pessoas para profissionalizar o negócio”, diz.

Entre as características das lojas da Petland estão o posicionamento das rações – que dão menos retorno financeiro – no fundo da loja para priorizar a venda de itens mais rentáveis.

No fundo das lojas também ficam os filhos de cachorros e uma área para interação com eles. Segundo Albuquerque, eles são adquiridos de fornecedores certificados, que têm de obedecer padrões específicos de tratamento dos animais.

Albuquerque diz que a venda de acessórios é responsável por 30% do faturamento das unidades da empresa. A comercialização de filhotes e a realização de serviços são responsáveis por 25% da receita cada um. A ração traz apenas 15% do faturamento.

A companhia tem atualmente 20 unidades. Planeja inaugurar outras 20 em 2016. Para o franqueado, o investimento necessário para abrir uma loja fica entre R$400 mil e R$600 mil.

Até 2020, a meta é estar com 300 unidades, diz Albuquerque. O número é maior do que a soma das lojas que a rede tem em todo o mundo.

São 160 unidades em 19 países, com a diferença de que, em muitos mercados em que a Petland está, optou-se por lojas maiores, com aproximadamente 1.000 metros quadrados.

Além de criar pet shops novos, a companhia também busca trazer empresas já existentes para dentro da sua rede.

Nesse caso, o investimento exigido do dono do pet shop é menor, definido conforme a necessidade de adequações que serão exigidas para que o petshop entre no padrão da empresa, diz.

Texto completo presente em: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/02/1738159-rede-americana-tenta-abrir-mercado-de-franquias-de-pet-shop-no-brasil.shtml