24 abrRede de lanchonete Black Dog monta plano de expansão nacional

Escrito por Adriano Lira, da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

A lanchonete paulista Black Dog, especializada na venda de cachorros-quentes, vai ampliar seu cardápio: além dos sanduíches, a rede terá opções mais saudáveis, como saladas e grelhados, e dará início a um plano de expansão nacional mais bem estruturado. Além disso, a franquia dá seus primeiros passos na mudança de sua identidade visual.

O Black Dog é uma criação do empreendedor Leandro Neves. Sua relação com o mercado da alimentação existe desde 1993, ano em que começou a trabalhar com um carrinho de cachorros-quentes. Por mais ou menos quatro anos, perambulou por diversos pontos de São Paulo. Em 1997, estabeleceu-se em uma das travessas da Avenida Paulista. Foi aí que seu negócio decolou. Seus sanduíches eram diferentes dos encontrados até então – ele foi pioneiro, por exemplo, ao incluir o queijo cheddar nos dogs. Em 2001, foi aberta a primeira unidade do Black Dog, também na região da paulista. Em 2005, Neves começou a franquear o negócio.

Os dogs da rede têm salsichas de diferentes tipos – tradicional, de frango e vegetariana – e têm ingredientes variados. Para se ter uma ideia, o “Maximus”, maior lanche da rede, leva 13 ingredientes: pão, salsicha, purê de batata, milho, vinagrete, curry, maionese, batata palha, queijo parmesão, orégano, cheddar, molho marinara e pepperoni. O Black Dog vende ainda hambúrgueres e sobremesas.

Agora, a rede ampliará seu cardápio com opções mais saudáveis, como grelhados e saladas. De acordo com Neves, a mudança atende a uma nova demanda do consumidor e deve aumentar os ganhos da empresa. “Percebemos que as pessoas comem lanches mais para o fim da semana. Agora, queremos ter gente indo aos nossos restaurantes todo dia”, diz. Outra novidade é que a rede planeja atrair quem vai a happy hours, com a venda de cerveja e porções.

As mudanças devem ocorrer a partir do mês que vem, quando a primeira unidade do Black Dog, aquela da região da Paulista, for reaberta. “Estamos recriando a matriz com uma nova identidade visual. Queremos dar uma chacoalhada no negócio”, afirma Neves. Posteriormente, o novo cardápio, o esquema de happy hour e as mudanças visuais serão aplicadas gradualmente nas outras redes.

Hoje, o Black Dog tem 13 unidades. Segundo Neves, a meta da franquia é abrir 10 novas operações até o fim de 2015. O empreendedor diz que já há negociações com diversos interessados, mas que o foco da empresa está no interior paulista e nas grandes capitais brasileiras.

Uma unidade do Black Dog custa, em média, R$ 164,8 mil reais.

Texto extraído de: http://revistapegn.globo.com/Franquias/noticia/2015/04/especializada-em-cachorro-quente-black-dog-monta-plano-de-expansao-nacional.html