21 julSalão especializado em cabelos crespos e cacheados vira franquia

Escrito por Adriano Lira, da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

(Foto: ThinkStock)

(Foto: ThinkStock)

O povo brasileiro é um dos mais vaidosos do mundo. Aqui – e em qualquer outro lugar – somos influenciados por padrões de beleza. Só que nem sempre esses parâmetros correspondem às características naturais da maioria das pessoas. No Brasil, a terra da miscigenação, muita gente tem cabelos crespos. No entanto, “estar na moda” por aqui é ter o cabelo liso. Até pouco tempo, por exemplo, não havia  produtos feitos para manter os cachos. Por outro lado, não faltavam opções para quem quisesse reduzir o volume e alisar os cabelos. Nos últimos anos, um movimento de negação aos padrões preestabelecidos vem ganhando forma.

O salão de beleza Lunablu, voltado para mulheres com cabelos crespos ou cacheados, é um dos reflexos dessa crescente valorização da diversidade. A empresa, hoje com três unidades, recentemente entrou no sistema de franquias, com a meta de negociar a abertura de 30 novos salões até o fim do ano.

A fundadora do Lunablu é a paulista Soraia Ferretti, 45 anos. A empreendedora atuou, por cerca de 20 anos, no departamento de marketing de empresas de produtos de beleza. “Acompanhei o quanto sofriam as mulheres de cabelo cacheado”, diz ela, que, por ironia do destino, tem cabelos lisos. “Não havia produtos e, além disso, os cabeleireiros não eram preparados. Meus cabelos são lisos, mas eu sei muito bem o que fazer com as minhas clientes.”

Em 2009, Soraia abriu a primeira unidade do Lunablu, no bairro paulistano de Santo Amaro. Segundo ela, o negócio foi criado para ser uma franquia. O interesse de parceiros surgiu logo no começo. “Parece mentira, mas uma pessoa fez uma proposta de abrir uma unidade franqueada no primeiro dia de funcionamento do salão”, diz. Em 2012, mais um Lunablu foi aberto, no centro de São Paulo. No ano seguinte, Soraia inaugurou outro salão, no Rio de Janeiro. Apesar da procura e do interesse prévio, Soraia decidiu crescer com recursos próprios e aprimorar processos. Feito isso, Soraia considerou este o momento ideal para franquear o negócio.

Para facilitar a listagem dos serviços prestados no Lunablu, Soraia começa falando sobre o que não é feito. “Alisamento, de jeito nenhum”, afirma. Outros tratamentos mais invasivos, como relaxamentos, até são realizados. Mas em último caso. “Nós tentamos conversar com as clientes e propor um tratamento alternativo. O atendimento no salão é quase medicinal.”

Os cortes são feitos com o cabelo seco. Como a água muda o volume dos fios, há a garantia de que a cliente não terá nenhuma surpresa desagradável assim que chegar em casa.

Para fornecer os melhores serviços, o Lunablu desenvolveu uma linha exclusiva de produtos. Apenas as colorações não são feitas pela rede. A maior parte deles é utilizada nos tratamentos, mas há outros, como shampoos, condicionadores, cremes para pentear e máscaras reconstrutoras à venda nos salões e na internet. “As meninas vêm ao salão uma vez por mês, mas precisam dos produtos todos os dias. Com os produtos e serviços, nos transformamos em um verdadeiro parque de diversões para as clientes”, afirma.

Vale ressaltar que, apesar de ser voltado para um público específico, o Lunablu está aberto para clientes de todos os tipos de cabelo.

Crescimento

Os planos de expansão do Lunablu são bastante otimistas. “Se havia gente interessada em uma unidade antes, agora que estamos realmente franqueando vai ser fácil”, afirma a empreendedora. A meta da empreendedora é vender pelo menos 30 franquias até o fim deste ano. Segundo Soraia, há demanda pelos salões em todas as regiões do Brasil e a rede já está negociando com interessados em empreender.

As novas unidades devem ter, no mínimo, 100 metros quadrados e empregar, em média, 20 profissionais. O investimento inicial em um salão é de cerca de R$ 355 mil. O retorno desse valor é obtido entre 18 e 36 meses após a inauguração.

Segundo Soraia, não basta apenas ter o dinheiro. É necessário gostar do segmento e sentir que está melhorando a vida da clientela. “Tem que ter brilho no olho e ver o bem que está fazendo. A gente atende meninas que saem daqui chorando de felicidade e, no fim, essa é a maior alegria de ter esse negócio.”

Mais informações sobre os custos de implantação de uma franquia do Lunablu podem ser encontradas aqui.

Texto extraído de: http://revistapegn.globo.com/Franquias/noticia/2014/07/salao-especializado-em-cabelos-crespos-vira-franquia.html