27 marTecnologia e Colaboração: sete chaves para o sucesso no mercado varejista

Escrito por Bruno Teixeira, da NeoGrid

Para as grandes redes varejistas que têm – em sua maioria – uma atuação bastante pulverizada pelo País, pode parecer impossível. Entretanto, estou seguro em afirmar que não é, basta contar com os recursos adequados à colaboração de toda a cadeia de supply chain, da indústria à gôndola.

A evolução dessa colaboração tem sido cada vez mais representativa e contínua. Os avanços conquistados visam, cada vez mais, transformar a desafiadora relação entre os varejistas e parceiros comerciais em uma troca mútua de ganhos, onde haja a plena integração de uma malha, na qual os riscos de inventário sejam compartilhados e os problemas resolvidos desde a origem até as gôndolas.

Conquistar e manter a satisfação do cliente-final é a premissa do segmento. Isso se conquista minimizando a falta de estoques e garantindo disponibilidade. Para isso, essa integração precisa ser continuamente aprimorada em termos de agilidade e praticidade.

Atualmente, o mercado de tecnologia apresenta soluções robustas e eficientes no que diz respeito ao SCM (Supply Chain Management) de uma companhia. A escolha, entretanto, deve ser cautelosa para que traga integração entre departamentos, clientes, parceiros e fornecedores. Como citei anteriormente, essa comunicação é fundamental para a saúde de uma empresa que atua no varejo ou que mantém relações comerciais com os mesmos. Com base em nosso cenário atual e em minha experiência no segmento, elenquei as sete características que considero fundamentais ao selecionar a plataforma de TI adequada:

1) Orientação ao comércio:
Os provedores de tecnologias não segmentados – que atendem diferentes departamentos de todas as indústrias – podem, muitas vezes, não ter a experiência necessária e o conhecimento específico sobre as demandas que envolvem a cadeia varejista. Por isso, é importante optar por soluções desenvolvidas por profissionais experientes neste mercado.

2) Flexibilidade e Escalabilidade:
Além de oferecer escalabilidade tecnológica, é importante que a solução tenha a flexibilidade necessária para evoluir à medida em que as necessidades da empresa sejam modificadas, o que inclui a capacidade de configuração da plataforma para todos os níveis de fornecedores.

3) Muitos relacionamentos em uma só plataforma:
Além de apoiar todos os níveis de clientes e fornecedores, é importante que os usuários consigam, por meio da plataforma adotada, gerenciar as diferentes relações comerciais da companhia a partir de um portal único. Com isso, recomendo a escolha de uma solução que cubra uma ampla gama de capacidades, desde a troca de informações sobre PDV (pontos de venda) às complexidades do compartilhamento dessas informações em toda cadeia produtiva. A abordagem fragmentada de funcionalidades torna o dia a dia da gestão complicado, passível a erros e, ainda, demanda muito tempo da equipe envolvida.

4) Colaboração na gôndola do varejo:
Uma solução colaborativa baseada em estoques administrados (controle e monitoramento) permitirá que os parceiros comerciais ajudem a gerenciar a cadeia de suprimentos da companhia. Tudo isso incluindo o centro de distribuição do varejista, de modo a oferecer uma verdadeira integração em toda a cadeia de suprimentos.

5) Inteligência voltada às ações: Organizações do varejo precisam de mais do que o simples envio de dados, precisam da capacidade de agir de maneira rápida. Para poder tomar decisões com agilidade, o recomendável é optar por uma solução que ofereça acesso simplificado a análises detalhadas e informações precisas de volume diário de estoque e vendas por loja e que as compartilhe de forma objetiva. Paralelamente, deve oferecer filtros que favoreçam o estudo e otimizem o tempo da equipe envolvida.

6) Relatórios personalizados: A solução deve ser suficientemente completa para permitir a configuração e ajuste de relatórios, conforme as necessidades diárias da companhia, sem perder a rápida escalabilidade e simplicidade.

7) O valor da rapidez: Muitas soluções baseadas em SaaS (Software as a Service) oferecem serviços acessíveis a empresas de todos os portes e diferentes segmentos, a partir de uma assinatura, sem investimento em infraestrutura tecnológica e a necessidade de treinamento especializado. Outra vantagem desse modelo de oferta é a possibilidade de começar a usá-las em questão de semanas e não meses, como é o caso de algumas tecnologias disponíveis no mercado de TI.

O varejista e seus parceiros podem aumentar sua competitividade ao inovar o processo de sincronização da sua cadeia de suprimentos. Uma relação ganha-ganha entre empresas depende de uma plataforma tecnológica robusta, flexível e que ofereça inteligência. Com isso, as organizações reduzem perdas, aumentando a eficiência da sua operação, e aprimoram o atendimento ao cliente final, conquistando fidelidade e muitas vezes ampliando seu público.

Texto extraído de http://www.portalnovarejo.com.br/colunistas/noticias/colunistas/tecnologia-e-colaborac-o-sete-chaves-para-o-sucesso-no-mercado-varejista