23 marVarejistas voltam suas atenções ao mercado plus size

A Target recentemente foi alvo de críticas ao anunciar que sua nova coleção Lilly Pulitzer estaria disponível nas lojas físicas  – exceto para modelos plus size, os quais somente estariam disponíveis na loja online. A Old Navy foi desafiada por cobrar mais caro nas compras de roupas plus size femininas, não masculinas.

“O Plus Size certamente é o foco das conversas e todos estão tentando compensar o mau comportamento apresentado no passado”, diz Aimee Chesire, co-fundadora e presidente da Hey Gorgeous, um ecommerce de modelos do tamanho 38 ao 42. “É um tanto quanto estúpido ver todos esses varejistas correndo para acomodar o mercado plus size agora”.

Estúpido, talvez, mas os números confirmam essa necessidade. De acordo com análise feita pela Plunkett Research, 67% do público feminino nos EUA utiliza tamanhos acima do 42 – e estão significativamente frustradas. Pesquisa feita pela NPD Group  mostra que 62% das mulheres plus-size enfrentam problemas ao procurar roupas nos estilos que desejam; 56% dizem que não é a mesma qualidade dos modelos menores.

Isso pode estar mudando. A Target planejou lançar uma linha plus-size – sua primeira nova linha em sete anos – em meados de Fevereiro. E, devido à dificuldade de encontrar um designer para desenhar seu modelo para o Academy Awards, a atriz Melissa McCarthy está lançando sua própria linha neste outono.

“O consumidor está carente de atendimento, e ninguém vai discutir isso”, diz Mariah Chase, CEO da Eloquii, uma varejista de moda para tamanos acima do 42. “O consumidor diz isso. A mídia também diz. Se nós somos os únicos a proporcionar isso na cidade, está completamente errado. Deveria haver espaço para dezenas de lojas que possam atender esse público”.

Texto traduzido do original presente em: https://nrf.com/news/time-shine