16 marVarejo brasileiro pode crescer 6% este ano

Escrito pela Redação do Portal No Varejo

A expectativa para o crescimento do varejo em 2012 é otimista, segundo a FCDLESP (Federação de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo). Tudo porque o crescimento pode chegar a 6%, de acordo com Mauricio Stainoff, presidente da entidade. “A queda da SELIC (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) tem animado o setor e isso deve facilitar o consumo e o crediário, assim como alavancar as vendas”.

Ainda de acordo com Stainoff, a estratégia do governo em baixar os juros e diminuir os impostos para estimular a produção nacional, assim como foi feito com a queda do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), deve dar fomento para o comércio.

No paralelo, a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) também aproveita para comemorar mais uma redução da taxa básica de juros e avalia que o ciclo de quedas da Selic abre espaço para a retomada do consumo interno mais forte e, por consequência, a recuperação do varejo brasileiro.

Para Fábio Kanczuk, economista e professor do departamento de economia da USP, o varejo nos últimos dois trimestres de 2011 foi ruim, ainda que isso não tenha sido percebido em São Paulo. “O clima de crise mundial piorou e o aperto monetário também assustou”, esclarece.

Já para 2012 Kanczuk afirma que a situação é mais otimista. “O Banco Central reverteu o aperto nos juros e começou a soltar crédito, isso será importante neste começo de ano. A economia ainda está andando devagar, com o crescimento próximo de zero, mas acredito que ela possa crescer cerca de 4%, podendo chegar a 7%, no 2º semestre deste ano”, conclui.

ABC Paulista

Considerado uma continuidade da cidade de São Paulo, o varejo da região do ABC Paulista, representada pelas cidades de São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Santo André e Diadema, somam juntas 2,5 milhões de habitantes, e preveem o crescimento de 7%. “A previsão é a mesma do ano anterior, entre 6% e 7%, ou seja, estável”, explica Evandro de Lima, vice-presidente regional da FCDLESP para o ABC.

Para Lima, o Brasil vem crescendo continuamente nos últimos anos e a nova classe média tem mantido o consumo. “Os setores de comunicação e informática têm puxado o crescimento, seguido por móveis e materiais de construção. Se o governo mantiver a redução do IPI, os eletrodomésticos também podem ajudar neste aumento”, afirma.

O varejo do interior paulista

Já a expectativa de crescimento do varejo no interior paulista permanecerá estável, segundo informações das CDLs (Câmaras de Dirigentes Lojistas) locais. Para Pedro José Olivito Lancha, presidente da CDL de Franca, o Brasil está em um bom momento para o consumo, mas o crescimento na região deve ficar entre 4% e 5%. “A tendência é melhorar um pouco, mas não muito devido à desaceleração da economia. Será um bom ano, mas sem grandes euforias. O cenário de crescimento de 10% que a região teve em 2011 não será o mesmo para 2012”, opina.

Na região de Botucatu, a União ACE/CDL tem organizado visitas aos lojistas para aplicar uma pesquisa, com intenções de constatar quais as principais necessidades e reivindicações dos mesmos e, diante disso, como as entidades podem contribuir para o desenvolvimento mais efetivo do setor. Para Emílio Angella Neto, presidente da União ACE/CDL, a medida tem dado resultados positivos. “Tivemos um bom crescimento do varejo em nossa cidade, com a chegada de novas lojas de rede e abertura de outros empreendimentos”.

De acordo com a Secretaria de Comércio e Serviços de Botucatu, o setor hoje é responsável por 55,57% dos empregos no município. “Somando indústria, agricultura e construção civil, entre 2009 e 2011 foram criados quase cinco mil novos postos de trabalho na cidade. E para o fim de 2013 está prevista a inauguração do primeiro shopping de Botucatu. Isso também acaba estimulando desde o pequeno até os grandes lojistas a melhorarem seus negócios”, conclui Neto.

Texto extraído de http://www.portalnovarejo.com.br/destaque/destaques/copy-of-varejo-brasileiro-pode-crescer-6-este-ano